Moto Hagio

“Aquilo que você viu agora a pouco é o que sobrou das minhas asas… O que sobrou das asas que foram arrancadas de mim”.

Meu encontro com Moto Hagio se deu no começo do ano passado. Estava cheia dos mangas vazios que andava lendo e querendo experimentar algo mais clássico. Depois de ouvir tantas boas recomendações da sua obra, resolvi ler online a história cuja sinopse me chamara a atenção. Foi amor à primeira vista.

Hagio faz parte do grupo que revolucionou o manga para garotas na década de 70, o chamado “Grupo de 24”. Até então o shoujo manga ousava pouco e seguia certo padrão – histórias de amor, princesas e colegiais.

Nascida em 12 de maio de 1949 na província de Fukuoka, a autora demostrou interesse em quadrinhos desde pequena. Como contou em entrevista na Comic-con, o maior evento de quadrinhos americano, recebeu resistência dos pais quanto a se tornar mangaka, especialmente de sua mãe, que dizia ser este um trabalho vulgar. Mas Hagio não desistiu e em 1969 publicou sua primeira história, um one-shot titulado Lulu & Mimi. Mas sua fama veio em 1972, com a sua primeira história longa, Poe no Ichizoku. Nela havia os elementos que iriam ser conhecidos como shonen ai, o romance entre garotos, termo cunhado pela própria Hagio, junto da também genial Keiko Takemiya (Kaze to Ki no Uta).

Um ano depois iniciou a produção de O Coração de Thomas, que viria a ser uma das obras mais conhecidos da autora. A história se passa no início do século 20, em um internato católico para meninos no interior da Alemanha. Nela, o Thomas do título se suicida, deixando uma carta para Juli, por quem nutria um amor aparentemente não correspondido. Pouco tempo depois chega um aluno transferido chamado Eric, de aparência quase idêntica à de Thomas, deixando todos da escola atônitos.

A forte caracterização dos personagens e modo sério como lida com assuntos polêmicos são um dos pontos fortes da autora, além do uso do “Show, don’t tell“, ainda que seus mangás normalmente tenham grande quantidade de texto.  Como no manga favorito desta que vos escreve, Zankoku na Kami ga Shihai Suru (Um deus cruel reina), considerado por alguns uma versão darker and edgierde Thomas. Jeremy, o protagonista, encontra-se vítima de chantagem e abuso sexual de Greg, novo marido de sua mãe. Incapaz de livrar-se da situação e emocionalmente destruído, ele arquiteta um plano para matar o padrasto em um acidente de carro. Porém tudo dá errado quando a vida de sua mãe também é tirada no acidente. Toda a situação acaba despertando as suspeitas de Ian, filho de Greg, que acaba descobrindo o lado sujo de seu pai. Em Zankoku na Kami o detalhamento psicológico amplamente utilizado por Moto Hagio atinge seu ápice, trazendo sequências que são inesquecíveis, seja pela carga emocional ou pelo horror sofrido por Jeremy.

 Hagio continua na ativa e novembro de 2011 iniciou a história curta Juu Jikan (Dez Horas), uma adaptação do romance homônimo escrito por Houseki Shousetsu. Suas influências vão de Tezuka à Asimov e Philip K. Dick. Seu amor pelo sci-fi a levou escrever A, A’, Juuichi nin Iru (Eles eram onze) e outros. Com mais de 50 volumes encadernados publicados, a quantidade de mangás licenciados no Ocidente é ínfima. Além das duas mencionadas acima, há a antologia A Drunken Dream and Other Stories e Four Shoujo Histories. Na Itália foram lançados Poe no Ichizoku e Juuichi nin Iru. Aparentemente essa situação está para mudar com o lançamento de o Coração de Thomas nos Estados Unidos marcado para setembro de 2012 e o evento Planète Manga na França, que reuniu Moto Hagio e Keiko Takemiya. E no Brasil? Nada até agora. Mas vamos com fé.

Um Comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s