Gangnam Style: PSY, Latino e Eguinha Pocotó

Por José Augusto Neto

Depois de um longo período de provas, brigas, sangue, suor e lágrimas – não teve nada de brigas, sangue, suor e lágrimas, foram apenas as provas mesmo – retorno ao Pacult com uma pequena história.

Um dia desses, fui abordado por um colega de classe em um dos corredores do ambulatório durante um intervalo, ele alegava que tinha algo do meu interesse para me mostrar. Como não tinha nada melhor para fazer no momento, atendi ao pedido e prontamente ele me mostrou o vídeo de Gangnam Style, o qual eu já tinha visto. – Legal né?! – Disse Ele. Apenas assenti com a cabeça e sorri, afinal de contas, eu já havia visto o vídeo e sabia do que se tratava. Durante as semanas seguintes as abordagens de outros colegas se tornaram cada vez mais recorrentes e todas incluíam o assunto Gangnam Style.

Simplificando: Gangnam Style viralizou, todo mundo adora o PSY, mas ninguém sabe nada de substancial sobre sua carreira. É pra trazer um pouco de informações sobre o artista e sobre sua música que decidi falar sobre ele essa semana.

PSY debutou em 2001, mas já era parte do cenário do Rap Coreano há muito tempo, fazendo participações em músicas de outros artistas. Desde o inicio de sua carreira o estilo irreverente e letras com críticas bem humoradas já estavam presentes. No ano de 2001 lançou primeiro álbum PSY…From the Psycho, que teve como single principal Bird. Na música, ele critica as mulheres que brincam e desprezam os homens. Pelo teor subversivo e inapropriado, Bird foi censurada em diversas rádios e programas de TV.

No ano de 2002, PSY lança seu segundo álbum, “Sa 2/Adult Only”, que também foi censurado para menores de idade, sob a acusação de influenciar mal a juventude.

Em 2006, PSY lança seu quarto álbum e entra em hiato até o ano de 2010, quando ele deixa sua antiga empresa e assina com a YG Entertainment, uma das maiores empresas do mercado fonográfico coreano. No ano de 2010, já sob a supervisão da YG, PSY lança o álbum “PSY Five”, que teve como single principal a música “Right Now”.

No ano de 2012 PSY lança seu sexto álbum PSY’s Best 6th Part 1 que teve como o single principal a música que todos conhecemos e amamos, Gangnam Style .

Após esse pequeno histórico vamos falar mais sobre o hit que catapultou PSY para o topo das paradas de todo Mundo, Gangnam Style.

Não posso negar que a dança e que o clipe em si sejam extremamente engraçados, mas acho que não custa nada atentar para crítica que PSY tenta passar com a música. Não precisa saber falar coreano pra entender que Gangnam Style é muito mais que uma dança engraçada. As cenas do clipe somadas à letra da música evidenciam a critica que PSY faz aos Playboys, aos homens que acham que conseguem mulheres sendo apenas ricos, bonitos e bem vestidos, e também às mulheres que se deixam levar pelas aparências.

Quanto às perspectivas de sucesso no exterior, eu diria que são nebulosas. A entrada de PSY no mercado americano, com uma música coreana, abre portas para outros artistas asiáticos e prova que não é preciso parecer americano para dar certo, mas ainda assim ele não alcançou o posto pelo sua música, mas sim pela estranheza do clipe. Estarei torcendo pelo seu sucesso, mas dificilmente ele conseguirá se desvencilhar do abismo de ostracismo pelo qual passam os fenômenos os virais logo após a vertiginosa ascensão.

=~=~=~=~=~=

OBS: O Caso Latino

Para os que tinham fugido para as montanhas no último mês, o cantor Latino comprou os direitos artísticos de Gangnam Style e fez a famigerada versão “Despedida de Solteiro – Laçar, Puxar, Beijar”. Após o lançamento da versão, vários protestos surgiram pela internet na tentativa de impedir o cantor de promover a canção. Latino esta no direito dele de comprar os direitos da música, qualquer outro artista com fundos o suficiente para comprar os direitos artísticos de Gangnam Style poderia comprar, mas não posso deixa de pontuar que a versão feita pelo Latino sai totalmente da ideia da música original e que não passa de uma tentativa falha de fazer sucesso a custas alheias. Como eu disse, ele, está no$ direto$ dele de usar a música como quiser, mas eu estou no meu direito de achar a música um lixo e você está no seu direito de dar ataque nas redes sociais.

Aqui a versão do Latino :

  1. rafa :) (@soneypi)

    Ótimo post José! Demorei pra ler, mas finalmente consegui! Haueioahueaie! Eu pensei que essa questão do ‘comprar os direitos’ ainda não tinha sido decidido. O pessoal coloca tanta coisa na internet que não dá mais pra saber o que é verdade ou mentira. Até agora o que eu tava sabendo era que na verdade ele – o Latino -, só tem, se não me engano, 25% da música e que quem trabalha pra ele, estava correndo atrás do resto . Se é verdade ou não, eu realmente espero que ele não consiga, afinal fazer uma versão brasileira é uma coisa, agora fazer uma versão brasileira em que se denigre a própria imagem do brasileiro, é outra bem diferente.

    • José Augusto Neto

      Primeiramente, desculpa por demorar tanto pra responder seu comentário. Então, o Latino ainda não tem os direitos de reprodução da música Gangnam Style, mas ele já adquiriu parte suficiente para fazer uma versão, também torço para que ele fique chupando o dedo sem conseguir o direitos por que se dependermos dele para propagar a imagem do povo brasileiro, os estrangeiros continuaram achando que somos apenas Samba, Tráfico e Bundas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s