TOP 10 – Músicas sobre leilões

ricardo-cavolo
Obra de Ricardo Cavolo.

Por Juliana Fernandez

Nunca participei de um leilão, seja comprando ou leiloando algo. Entretanto, conforme fui crescendo, fui notando o papel do evento no imaginário popular e musical. Especialmente quando se trata de músicas de amor e sofrimento, que por sorte ou azar, são as minhas preferidas. Parece que todo letrista já pensou em leiloar o coração uma vez ou outra e a gente cria empatia pelo coitado.

Quanto mais melosa, melhor é a canção.Entretanto, até em algo tão segmentado como músicas de leilão, é possível encontrar diferentes significados, gêneros e sentimentos. Nem todas as músicas desse Top 10 são sobre amor sofrimento, mas todas são sobre leilão.

Leilão – Chico Aguiar

É samba de Chico Aguiar e é sobre leilão e sofrimento. No primeiro segundo da canção eu já tô com o dedinho pra cima cantando junto.

Leilão – Escurinho

Escurinho é um cantor, compositor e percussionista de Serra Talhada, Pernambuco. Ou seja, música de leilão com qualidade e sotaque pernambucano.

O Leilão – Alfredo Marceneiro

É fado português. Eu não conheço muito do gênero para falar “olha só gente esse é um fado dos bons”, mesmo assim eu gosto muito da música. A voz de Alfredo Marceneiro é única.

Leilão – Os Urtigas do Nordeste/ César Menotti e Fabiano

Leilão ficou conhecida na voz de César Menotti e Fabiano, mas a versão d’Os Urtigas do Nordeste é minha preferida. Tanto pela malemolência quanto pelo nome do grupo musical. Entretanto, esse diamante da música brasileira não se encontra no Youtube. Por isso o vídeo da versão mais famosa.

The Auction – Holger

É em inglês, mas a banda é brasileira. Foi a primeira música de leilão (em especial leilão de coração) que eu me lembro ter escutado. Desde então minhas orelhas procuram estar sintonizadas em músicas de leilão.

O Leilão do Lote 77 – Envydust

É um instrumental sobre leilão da banda Envydust, que era de metalcore até encerrar as atividades em 2010. Ou seja, escuta quem gosta de metalcore, ou escuta quem gosta de música de leilão, como eu.

Fiz Leilão de Mim – Tony de Matos/ Rodrigo

Outro fado na lista. Tony de Matos foi um fadista e ator português. Música bem boa pra sofrer. Também não tem a versão do Tony de Matos em vídeo. Poxa, Youtube. Mas segue a versão de Rodrigo.

Leilão – Canção e Louvor

Canção e Louvor é um duo gospel. Ou seja, a música é de leilão e fala de deus e tal. Não é minha área, mas o início é bem bonito. Se você gosta de gospel, escuta. Se não gosta, não escuta.

Leilão – Grupo Dominó

Tudo sobre essa música é ótimo, especialmente nessa apresentação no Xou da Xuxa em 1990. Eu já tive o corte de cabelo de todos os integrantes.

Leilão – Zeca Pagodinho

Q U A L I D A D E, pra fechar esse Top 10 com chave de ouro.

Anúncios

Top 10 músicas chicletes duráveis

Por Yasmin Souza

musicas-que-sempre-grudam-na-cabeca-como-chiclete
Ile Machado

Há um grande mito que somente músicas ruins tem o direito de serem denominadas como chicletes. Pois oras, ser música chiclete pra mim é privilégio, é o hit, é aquele refrão que você nunca esquecerá na vida, que gruda e se apropria da sua mente por um tempo inestimável.

Durante uma viagem minha em Olinda, na busca de apreciar uma boa música numa noite de quinta-feira naquela cidade maravilhosa. Tinha a tal da quinta do vinil na Casa do Cachorro Preto, um lugar incrível e autêntico, que inclusive, gostaria de mais lugares acolhedores musicalmente assim em minha cidade. Eis que apreciando os discos escolhidos, toca Beatles, foi uma comoção geral, tocar Hey Jude! é tocar lá no fundo do coração, e a música ativará uma parte de seu cérebro em que você, provavelmente, lembrará dela no dia seguinte, feito chiclete, chiclete de sentimentos, a música te gruda, interliga você com alguma felicidade interna. Foi uma alegria no sorriso de cada um esboçando, aquela vontade de cantar junto, e de repente minha amiga soltou:

– Porra, Beatles não tem jeito, né… Pode passar tempos sem ouvir, mas quando toca… toca no fundo!

Realmente, Beatles é chiclete, nunca deixará de ser, foi uma das pitadas que adoçou com gostinho de eternidade cada música deles. Bom é chiclete que dura mais do que um ano.

Pois, quebremos essa grande balela, deixo de presente um top 10 das minhas músicas chicletes, antigas e atuais e de boa qualidade (creio eu).

Se gostar é porque temos que ser amigos de Spotify.

         


Scream & Shout: a corte está ameaçada

Olá, paculteiros. Estive afastado da nossa programação pop de toda semana-nos-dai-hoje, porque me empenhei em escrever o artigo publicado na terça-feira, da semana passada. Se você ficou observando muito as estrelas no telescópio, foi abduzido – como no The Sims – e não sabe sobre qual artigo estou falando, é só clicar aqui. Os resultados foram muito positivos e inspiradores e eu me sinto ainda mais intimado a sempre ficar por aqui, pertinho de vocês.

Que bom poder voltar a falar de música pop logo quando a princesa do gênero está, também, de volta à ativa. De férias da música para se tornar jurada e técnica do Xfactor, Britney cedeu seu rosto, sua marca e sua voz para Scream & Shout, parceria no álbum, igualmente de retorno, do cantor will.i.am (#willpower, previsto para ser lançado em 2013). Continuar lendo “Scream & Shout: a corte está ameaçada”

O urso-cinzento e sua obra-prima

18 de setembro de 2012. O dia do lançamento de um dos melhores álbuns do ano.

Alguns álbuns passam despercebidos, sem serem notados. Ficam ali escondidos, só esperando para serem descobertos. Uns são tão ruins que nem quando notados ganham destaque. Outros, quando são descobertos, se tornam referência cult. Alguns, ainda, são renegados a meros papeis de coadjuvantes em meio a um competitivo cenário de artistas frustrados e bandas estreladas. Nenhum desses casos é o do Shields, novo álbum do Grizzly Bear, que já nasceu pronto para brilhar.

Shields é um épico de 10 faixas e algumas sensações. Muitos duvidavam que a fantástica banda do Brooklyn conseguiria fazer algo superior ao belo Veckatimest. Conseguiram com sobra. O álbum é uma obra-prima. É um daqueles álbuns que se tornam referência. Merecidamente. Continuar lendo “O urso-cinzento e sua obra-prima”

Aura Dione: in love with the world

Sabe quando você não tem muitos argumentos para simplesmente dizer que não tem argumentos? Pois é, o Sol de Cuiabá fez esvair, completamente, toda a minha inspiração. Acalmem-se! Não totalmente. Há algum tempo, questão de meses, flanando em Facebook de amigos que curtem músicas do cenário alternativo, encontrei “fulano curtiu Aura Dione” – eu realmente não me recordo de quem foi a página responsável por proporcionar este grande encontro -. E, desde então, quando acessei a página oficial da cantora, passaram-se poucos segundos para eu, no mínimo, me intrigar com seus exageros: voz, estilo, boca, dentes, olhos. Continuar lendo “Aura Dione: in love with the world”

Não é apenas mais um conto de Halloween americano

Arte: Rafael Irineu

Era bem verdade que, quando Katy havia se dirigido ao jardim para conferir os últimos detalhes da pequena confraternização, a Lua já pintava o céu com uma réstia de luz refletida num novelo de nuvens densas; era verdade, também, que agora, olhando pela escada que descia sob seus pés, o medo que ia lhe subindo pela espinha, realizando sinapses e provocando pequenos espasmos pelo corpo todo, parecia antecipá-la para tudo de ruim que viria acontecer nos próximos atos.

Continuar lendo “Não é apenas mais um conto de Halloween americano”

Sempre Thriller

Suponhamos que alguém tenha me desafiado a experienciar a temática dessa semana do PACULT – para os desantenados, apenas meu silêncMENTIRA: Halloween -; suponhamos que eu tenha aceitado; suponhamos que não seja suposição que eu possa, tranquilamente, ser confundido com um zumbi… É, glr. Aqui caberia muito bem aquela expressão “naum ta fácil”, mas, já que eu escolhi fazer Comunicação Social, deveria estar ciente de que a vida seria assim mesmo: correria, poucas horas de sono, olheiras, mau humor. Aí sempre me pergunto: por que não fui fazer medicina? Rs rs rs

Continuar lendo “Sempre Thriller”

Ailee: Um Pouco de Sorte, Um Belo Rosto e Muito Talento.

 

Já começo o post pedindo desculpas por postar no domingo ao invés do sábado, mas acho que uma reunião de família somada aos lançamento de episódios novos do reality show favorito deste que vos fala e de quase metade dos colaboradores do pacult é choque de monstro, digo, é uma desculpa plausível para me atrasar um pouco no lançamento do post.

No mercado asiático, em especial no coreano, é muito mais fácil para os grupos fazerem sucesso, do que um cantor solo. Pense bem, você pode gostar de uma pessoa que pertença a um grupo e por causa dessa pessoa comprar coisas relacionadas ao mesmo, mas se você não gostar de um cantor solo, você não comprará nada que diga respeito a ele.

Atualmente a situação tem mudado bastante e diversos cantores, novos e antigos, têm conseguido fazer sucesso solo. Ainda que os cantores antigos tenham sua parcela de importância, ouso dizer que essa nova safra de cantores solo seja responsável por essa guinada no mercado.

Dentre os diversos cantores solo que debutaram este ano, uma cantora em especial chamou minha atenção.

Ailee

Continuar lendo “Ailee: Um Pouco de Sorte, Um Belo Rosto e Muito Talento.”

The Boys: o mesmo novo; de novo.


Olá, paculteiros! Semana acabando, pessoal que estava de greve se ferrando  correndo atrás do tempo (definitivamente) perdido, semana do Hallowen chegando e Nicki Minaj muito a fim de emplacar na Billboard – e é claro que estes dois últimos assuntos não se relacionam –Não faz sequer uma semana que o videoclipe de Justin Bieber, Beauty and a Beat, no qual Minaj faz participação, chegou a público e, aí está, outro videoclipe no qual a rapper só inova, em tese, na participação. Continuar lendo “The Boys: o mesmo novo; de novo.”

Trilha sonora de Fire Emblem Radiant Dawn, a melhor de um jogo que conheço.

Por Thiago Mattos

Bom, disse que tinha encerrado minhas publicões sobre games, isso é verdade e mentira ao mesmo tempo, essa é uma publicação meio de games e meio musical. Precisava homenagear a trilha sonora desse jogo e decidi postar em “Música”. Fire Emblem já teve uma publicação minha, olhe aqui https://pacult.wordpress.com/2012/07/31/serie-fire-emblem-uma-obra-prima-pouco-reconhecida/. Mas agora o tema é outro.

 Ike                              Micaiah

 

Achei esse site http://www.feplanet.net/music/10 que tem todas as músicas de Fire Emblem Radiant Dawn (Wii – 2007, 2008). Gostaria de compartilhar essas músicas com todos vocês que acompanham o blog, sons épicos como 8) Etenal Bond, que toca quando os dois protagonistas, Ike e Micaiah precisam se enfrentar, ambos sendo grandes pessoas, a guerra é cruel. 46) Sorrowful Prince Pelleas é o tema de um jovem Rei que acredita que a salvação de Daein (seu país) está na sua morte. 67) The Black Knight Lives é o tema de um misterioso cavaleiro que matou o pai de Ike no jogo anterior, supostamente ele estava morto, porém… 77) Comfort’s Call 78) Backsliding e 79) Pray for victory são músicas de preparação para as batalhas que estão por vir. 62) Oliver’s Fall é o tema de um senador ganancioso, que faz tudo para aumentar suas riquezas e adquirir coisas preciosas. 63) Queen Elincia, é o tema da virtuosa rainha de Crimea. 02) Echoes of Daybreak é a música da primeira batalha, dá pra sentir nela, que toda uma longa jornada está por vir. 10) Hymn of the Righteous é mais um tema de batalha. 61) Zelgius the Brave é o tema do General Zelgius, que apesar de estar sempre contra as tropas que você controla, é um homem cortês, leal e honrado, a música consegue transmitir tanto a ombridade desse homem quanto a ameaça que ele representa para o jogador.

 Black Knight                         Pelleas

Enfim, são 85 músicas e se você tiver tempo, ouça todas, no entanto, a nossa vida é corrida e separei as 11 que vieram primeiro a cabeça, suponho então que sejam as melhores na minha opinião. Aproveitem, tentem ouvir o máximo de músicas que conseguirem! O trabalho das músicas desse jogo foi feito com orquestras, o diretor de som é Yoshito Hirano. É uma tradição nos jogos Fire Emblem, a disponibilização das gravações depois que se zera o game, é sempre uma baita recompensa.

   Zelgius            Elincia        Oliver